domingo, 14 de junho de 2015

Ajuda financeira para fazer audições na Europa

Oi Gente!! Muita gente quer audicionar na Europa mas não tem dinheiro suficiente para vir. Será que tem algum lugar onde podemos recorrer? Sim !

Aqui na Alemanhã existe uma agência que ajuda jovens dançarinos a conseguir trabalho. Apesar de ser na Alemanhã, eles ajudam também em outros países como Áustria, Luxemburgo e Suíça. O nome é Zentrale Auslands- und Fachvermittlung , ou, ZAV.



O que é o ZAV? 

ZAV é uma agência que fornece consultoria para os teatros de dança, companhias de dança, à candidatos a empregos profissionais e à artistas do campo da dança.
Através de pesquisas de mercado, participação em feiras, congressos de danças, competições e a Conferência Federal Alemã de Diretores de Ballet e Dança teatro, temos uma visão máximo da dança de todo o país.

"Temos de saber com precisão as qualidades e habilidades dos bailarinos. Isso é feito através de audições (Vortanztermine), em que tanto as habilidades em balé clássico, bem como dança moderna e contemporânea serão avaliadas. "

Como entro na Agência?
Para fazer parte do programa, é necessário fazer uma audição. A agência está constantemente realizando audições para novos participantes.
A audição é geralmente em Munique, Alemanha ou em Dortmund, Alemanha.
Para se inscrever, você deve mandar o CV, 2 fotos de corpo inteiro e foto do rosto.

Como funciona?
Assim que você entra no ZAV, eles passam a te mandar e-mails com novas oportunidades de audições em cias pela Europa. Caso você se interesse em alguma das audições, seu contato passa a ser diretamente com os e-mails das Companhias de Dança.
Se você possuir o convite para audicionar, o ZAV paga passagem e estadia.
Mas as ajudas de custos são apenas para as oportunidades de audições que eles mandam.
E a ajuda de custos deve ser requerida em cada audição.
Obs.: Você está permitido à fazer audições fora do programa também.


Espero que vocês tenham gostado. Todo mundo sabe que viajar é tudo de bom mas é preciso arcar com muitos custos. O ZAV já é uma grande ajuda!
Para mais informações aqui está o site deles. Infelizmente é totalmente em Alemão. Mas todos os funcionários falam inglês. Então qualquer dúvida de como entrar, datas de audições ou como funciona são respondidas por e-mail.

http://zav.arbeitsagentur.de/nn_462294/kv/Navigation/Tanz.html__nnn=true

Um beijo! Auf Wierdersehen!

domingo, 10 de maio de 2015

Sasha Waltz - Coreógrafa, Bailarina e Diretora

Você sabe quem é Sasha Waltz? Hoje em dia, se você quer trabalhar com a dança é importante estar atualizado sobre o que está acontecendo mundo a fora. Independente da companhia de dança, seja ela moderna ou clássica, quando vamos procurar um emprego, o empregador procura o bailarino mais completo possível, ou seja, aquele que seja apto a dançar clássico, moderno e contemporâneo.
Trago para vocês uma coreógrafa muito conhecida mundialmente: A Sasha Waltz.


Versão de Romeo e Julieta que Sasha Waltz fez para a Opera de Paris



Quem é Sasha Waltz?


Sasha Alexandra Waltz  é uma coreógrafa alemã, dançarina e diretora da companhia de dança Sasha Waltz and Guests.


Sua História 



Aos cinco anos de idade ela teve sua primeira aula de dança em Karlsruhe com Waltraud Kornhass, um estudante de Mary Wigman. De 1983 até 1986, Waltz estudou na Escola de Dança para novos desenvolvimentos, em Amsterdam.

Entre 1986 e 1987 ela estudou em Nova York. Durante esse período ela dançava para Pooh Kaye, Yoshiko Chuma & School of Hard Knocks e Lisa Kraus. Depois que ela colaborou intensamente com coreógrafos, artistas plásticos e músicos como Tristan Honsinger, Frans Poelstra, Mark Tompkins N, David Zambrano.

A partir de 1992 ela foi artista em residência na Künstlerhaus Bethanien. Lá, ela desenvolveu uma série de "diálogos" em projetos interdisciplinares com dançarinos, músicos e artistas visuais (Nasser Martin-Gousset, Takako Suzuki, Charlotte Zerbey, Akos Hargitai). Um ano mais tarde, em 1993, ela fundou sua empresa "Sasha Waltz and Guests "com Jochen Sandig. Ao longo dos próximos 3 anos  desenvolveu o Travelogue-Trilogy.

Juntamente com Jochen Sandig, eles fundaram a Sophiensaele no centro de Berlim, como um centro para o desenvolvimento do teatro e dança livre. Lá eles desenvolveram Allee der Kosmonauten (1996), Zweiland (1997) e Na Zemlje (1998), bem como do projecto Dialoge `99 / I.

Em 1999, assumiu o cargo de Diretora Artística na Schaubühne am Lehniner Platz, em Berlim ao lado de Thomas Ostermeier, Jens Hillje e Jochen Sandig. Ela abriu a Schaubühne sob nova direção, com a estréia de Körper (2000). Isto foi seguido por S (2000), noBody (2002), insideout (2003), Impromptus (2004) e Gezeiten (2005).

Uma vez que seu período de 5 anos com o Schaubühne terminou, ela fez Sasha Waltz & Guests como uma empresa independente de novo, com uma base em Berlim. Foi estabelecido como um projeto internacional com 25 permanente e 40 colaboradores associados.


Uma das criações mais famosas de Sasha: NoBody


Prêmios

1994: Prêmio Coreografia no Concurso Internacional de Coreografia Groningen (NL) para Travelogue I - Twenty Eight 
1997: Convite de Allee der Kosmonauten ao 34 "Berliner Theatertreffen", um evento anual do Berliner Festspiele que convida os 10 mais notáveis ​​produções teatrais alemães da temporada para ser apresentado em Berlim
2000: Adolf Grimme Award para a adaptação cinematográfica de Allee der Kosmonauten
2000: Convite de Körper para a 37ª "Berliner Theatertreffen"
2007: "Coreógrafo do Ano", por Ballettanz, revista de dança alemã
2009: 1º prémio de Levantamento de Die Deutsche Bühne, mais velho teatro revista da Alemanha da Crítica
2009: Ordem das Artes e Letras
2010: Friederike Caroline Prêmio Neuber da cidade de Leipzig, Alemanha


É muito importante saber de grandes nomes que influenciam a dança hoje em dia. Pra muitos bailarinos é um sonho trabalhar com Sasha. Ela inspira muitos coreógrafos e dançarinos. Espero que tenham gostado! Auf Wiedersehen!

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Feliz Dia Internacional da Dança!!

Oi Gente!! Wie Geht's?

Feliz Dia Internacional da Dança! "E que seja perdido o único dia em que não se dançou." Nietzsche . Todos os dias a dança está presente em nossas vidas mas o dia de hoje é para que o mundo se lembre da importância da nossa arte. Vocês sabem porque é comemorado no dia 29 de Abril? 



O Dia Mundial da Dança foi instituído em 1982 pelo Conselho Internacional da Dança (CID), entidade criada sob a égide da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). A data foi escolhida para recordar o nascimento do coreógrafo francês Jean-Georges Noverre (1727-1810), um dos pioneiros da dança moderna, com o objetivo celebrar esta arte e mostrar a sua universalidade, além das barreiras políticas, éticas e culturais. Sua proposta era atribuir expressividade a dança por meio da pantomima, a simplificação na execução dos passos e a sutileza nos movimentos. Noverre se destaca na história por ter escrito um conjunto de cartas sobre o balé de sua época, “Letters sur la Danse”.


Curiosidade: Como surgiu a dança?

As danças em grupo foram praticadas desde as primeiras civilizações, em rituais religiosos. Aperfeiçoaram-se até possuir ritmo, passos e roupas determinados. No Egito, por volta de 2000 a.C., dançava-se em homenagem aos deuses. Na Grécia Clássica, a dança era relacionada aos jogos olímpicos. 
Os tratados sobre dança surgiram a partir do século XVI. Cada país europeu criou suas próprias danças. Primeiro eram coletivas, depois foram adaptadas aos pares. No século XIX começaram a aparecer danças mais sensuais, como o maxixe e o tango. Assim como vários outros aspectos culturais, a dança foi se transformando na proporção em que os povos foram se misturando.


Você gosta de assistir? Adoraria dançar e acha que não leva jeito? Aqui está uma lista de tipos de danças. Ache uma que te faça bem. "Quem dança é mais feliz!"

Axé
Bachata
Batuque
Baião
Ballet
Bharathanatyam
Bolero
Break
Broadway
Bugio
Caboclinhos
Calango
Capoeira
Carimbó
Catira
Cha-cha-cha
Chamamé
Ciranda
Coco
Coladera
Corridinho
Country
Dança contemporânea
Dança da enxada
Dança das fitas
Dança de roda
Dança de rua
Dança de São Gonçalo
Dança do cavalo-marinho
Dança do dragão
Dança-do-lelê
Dança do leão
Dança do ventre
Dança moderna
Electro
Fandango
Flamenco
Forró
Foxtrot
Frevo
Funaná
Funk
Free Step
Habanera
Hip hop
Hopak
Jazz
Jerk
Jive
Kizomba
Krumping
Kuduro
Lambada
Lap Dance
Lundu
Malhão
Maracatu
Mambo
Maculelê
Maxixe
Melbourne Shuffle
Merengue
Moçambique
Morna
Pagode
Pasodoble
Polca
Pousade
Psy
Quickstep
Rampa pa Mão
Rampa pa Pé
Rancheira
Rebolation
Reggae
Rock and Roll
Rumba
Salsa
Samba
Samba de gafieira
Soltinho
Sapateado
Siriquité
Soca
Tango
Twist
Valsa
Vira
Zouk
Disco

Não tem desculpa né?? Existem mil tipos de dança!  Espero que tenham gostado.
Beijos! Auf Wierdesehen!

Fontes: Mundo Educação e Wikipédia 

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Como estudar no Vaganova Ballet Academy, na Russia?

Oi Gente!! Wie Gehts?

Quem nunca ficou admirado em assistir as bailarinas russas? Quem nunca sonhou em ser, assistir ou conhecer a Osipova, Zakharova ou Somova? Pra conquistar o físico que elas tem é impossível, mas e ter a mesma educação que elas recebem? É possível? Sim ! É possível!
Trago nesse post um pouco sobre a escola Vaganova e como estudar nela.



A Escola


A Academia Vaganova é a escola associada do Ballet Mariinsky, uma das companhias de ballet mais importantes do mundo. Os alunos da escola têm encontrado emprego com balé e contemporâneo em todo o mundo.
Possui mais de 275 anos de idade, mais de 300 alunos e mais de 3.000 crianças fazendo testes a cada ano, sendo 300 deles de St. Petersburg. Cerca de 60 alunos são selecionados e 25 alunos se formam anualmente. A escola emprega cerca de 75 professores de dança.


Todos os alunos estudam formação em dança, educação de nível secundário, língua francesa e aulas de piano. À medida que progridem através da escola, o programa se mais intenso. No primeiro ano, os alunos estudam dança clássica e histórica progredindo para aulas de repertório e de pas de deux no sexto ano. No final do 8º ano de treinamento, todos os alunos de dançam em uma festa de graduação no Teatro Mariinsky. Os alunos mais bem sucedidos são oferecidos um contrato com a companhia Ballet Mariinsky.
Um dia típico no Academia Vaganova:

 09:30 -11:00 horas - Técnica de ballet
 11:00 -13:00 - Matérias acadêmicas
 13:00 - Almoço
 14:00 - Repertório ou História da dança
 16:00 - Matérias acadêmicas
 05:00 - Ensaios

Como entrar para a escola? 
Após o recebimento do pacote do DVD e documentos, a equipe do Ballet Vaganova Academy irá avaliar a técnica e nível de desempenho do candidato e responder a respeito da admissão ou não admissão no Programa.
O programa para estrangeiros é pago e custa a bagatela de 16,900 Dólares para os 10 meses de curso. (01 de setembro até 30 de junho)
A taxa de matrícula também inclui:

  • Alojamento no dormitório no local da Academia de Ballet Vaganova com uma cozinha, uma lavanderia, salas de Internet e TV, lounges musicais, e salas de fitness.
  • 4 refeições por dia com um cardápio balanceado, supervisionado por um nutricionista.
  • Curso intensivo de língua russa.
  • 24 horas por dia de segurança tanto na entrada para a Academia e no dormitório.
  • Ingressos de cortesia para Mariinsky Teatro e Teatro Mikhailovsky.
  • Participação em performances de balé no palco do Teatro Mariinsky, Teatro Hermitage e no Teatro da escola .
  • Assistência médica e de fisioterapia.
  • Seguro de saúde por 100 euros para 10 meses.
  • Transporte para o aeroporto Internacional de St. Petersburg.
A Academia de Ballet Vaganova oferece o Programa Internacional de Trainee da Educação do Ballet de 01 de setembro até 30 de junho para os alunos com idades entre 16-20. Os candidatos para VITR são admitidos através de audição durante todo o ano. Para participar do teste de avaliação, os candidatos são convidados a apresentar ao Ballet Vaganova um DVD (20 minutos de duração) com uma aula de dança clássica (barra, centro de trabalho, adagio, allegro) e duas variações. Os requerentes de VITR deve ter forte técnica em balé clássico.

Depoimentos de bailarinos estrangeiros na Vaganova Academy

A Britânica Isabella McGuire Mayes

"Acho que a minha vida é muito diferente da vida de um adolescente normal. Eu não vou à festas, eu não tenho tempo para namorar e eu estou muito focada no meu futuro. Comecei como qualquer outra menina - eu tinha dois anos e entrei no ballet - não era sério, nós apenas girávamos fitas e esse tipo de coisa. Então, quando eu tinha sete anos, eu conheci uma professora de balé russa e ela me deu a minha primeira lição. Eu não gostava - eu chorei e disse aos meus pais que eu não queria mais fazer ballet. Poucos dias depois, eu mudei de idéia, e disse que queria "ver a senhora russa novamente". Eu fui progredindo e me apaixonei pelo ballet.
Aos 15 anos, foi-me oferecido uma vaga, tanto na Royal Ballet Upper School e na Academia de Ballet Vaganova. Eu tive que fazer uma escolha entre permanecer em Londres ou me mudar para a Rússia por conta própria. Eu decidi ir para a Rússia. Foi uma decisão difícil: Eu não sabia falar a língua, eu não conhecia ninguém lá e eu estava deixando meus amigos e família - mas parecia que era o que eu precisava fazer.
Eu tinha muito medo de começar. Eu não sabia o que esperar, mas eu sabia que era a melhor escola do mundo e que seria ótimo para mim. 
Como qualquer atleta, a parte mais difícil que eu tenho que lidar é a dor física. Eu sinto um monte de dores e eu só tenho que aprender a trabalhar com elas. Eu danço com a dor ouentão eu estaria fora o tempo todo. Mas eu conheço o meu corpo bem o suficiente para ser capaz de dizer quando eu preciso descansar. É preciso muita força mental, também. E ficar positiva. No final de um dia muito difícil eu preciso relaxar sozinha. Eu assisto comédias britânicas ou filmes para me desligar - basta ter uma noite "normal" que me deixa pronta para o dia seguinte.
Eu vi o filme Black Swan quando ele saiu no início deste ano. Havia alguns pedaços que eu poderia dizer à respeito - como quando a personagem de Natalie Portman ganha a liderança e corre para os colos de sua mãe - mas a maioria é muito exagerada e nada como a indústria de ballet. Ballet é muito competitivo, mas não como no filme. É muito mais sutil - todo mundo é competitivo, mas de uma forma tranquila. É quase como se você fosse competitivo com você mesmo mais do que ninguém.
Meus pais não estavam particularmente interessados ​​em ballet antes de eu chegar aqui, mas como o passar do tempo todos se tornaram fãs. Eles vêm aqui quando é possível e nos falamos muito no Skype. É realmente importante para mim que nós mantemos contato, sempre que possível - eles são um apoio incrível. Eu não poderia fazer sem eles."

A Brasileira Virgínia Mazoco

Virgínia já havia sido aprovada ano passado, quando tinha 15 anos. Ela acabou não indo porque é permitido fazer intercâmbio somente a partir dos 16 anos. Mas, desta vez, não há nada que a impeça de ir atrás do sonho. A bailarina já tinha a vaga garantida, mas ainda assim mandou um vídeo para fazer o nivelamento e ser encaixada em alguma turma. Com a experiência no Bolshoi, a expectativa é de que comece no final do curso.
Pensando na adaptação, Virgínia começou a fazer aulas de russo pela internet, ano passado, no site do Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem). “Eu aprendi alguma coisa, para me virar”, diz.
Apesar das diferenças, a bailarina não espera encontrar muita dificuldade em se adaptar. A jovem sonha alto, pensa em fazer uma carreira internacional. “Nada impede que continue lá e me profissionalize, é algo que eu quero”, adianta. Com a experiência na Vaganova, acredita que não será tão difícil conseguir emprego em companhias da Europa. 

A Californiana Tatum 

"Atualmente, estou vivendo em St. Petersburg, Rússia. Fiquei muito honrada em receber um convite para treinar no mundialmente famoso Ballet Vaganova Academy . Foi um grande passo a tomar, mas todos os dias aqui tem sido uma bênção!
Minha companheira de quarto é do Canadá, mas ela é o russa e é muito prestativa. As meninas da minha turma eram todas muito acolhedoras e prestativa, e eu estou feliz que fiz amizades rapidamente! Eu sou do curso de grau 6. Estou muito muito feliz com a minha turma. Meu professor, Mme. Udalenkova, foi professor na academia por muitos anos, e foi professor de muitos nomes grandes, incluindo Ekaterina Kondaurova. Sua aula é muito difícil, mas eu gosto de todos os dias, e estou muito feliz por ter essa conquista!
Também estou finalmente começando a encontrar o meu caminho em torno da escola, sem se perder! Isso pode parecer bobagem, mas a escola é enorme! É como Hogwarts; de idade, beleza e tem BILHÕES escadas! E isso é apenas metade da escola. Eu vou começar cronometrando quanto tempo ele me leva para ir de meu quarto para alguns dos estúdios ... é realmente uma viagem!

Meus dias aqui são longos, mas gratificante. Minha agenda consistem em ballet "classika" todos os dias (incluindo pontas), e um calendário rotativo de pas de Deux, moderno, e caráter. Eu também tenho aula de língua russa. Há apenas dois de nós nesta classe, por isso espero ser fluente em breve! .. Ou pelo menos perto! Normalmente, o meu dia começa às 10:45 e termina cerca de 20:30. Todos os dias, depois de todas as minhas aulas, eu ainda estou sorrindo. É ótimo para trabalhar duro e estar fazendo o que eu amo, e apesar de eu não ter a típica vida "adolescente" mais, eu estou onde eu quero estar, e eu não trocaria minha vida por nada!

Chegando aqui, eu estava começando mais tarde do que o resto da escola, que tinha começado o ano em setembro. Eu sabia que seria difícil e eu não teria alguns dos privilégios que os outros alunos tinham. 
Tenho os ensaios duas vezes por semana. Estou ensaiando Gamzatti e "Diamond" em A Bela Adormecida (existem 5 de nós ensaiando para essa parte, 3 da classe da graduação). Na semana passada, no entanto, meu professor me disse depois da aula que eu estarei dançando na cena de neve do Nutcracker! Eu estava tão animada! Começamos os ensaios ontem, e já consegui passar toda a dança. Performances começar em dezembro, e nós vamos estar realizando no Teatro Mariinsky (!!!!!)"

Curiosidades
1.Em 1970, um monte de cristal quebrado foi encontrado sob o fosso da orquestra. Eles jogaram fora como lixo, mas depois a acústica do salão tornou-se significativamente pior.
2. Embora existisse uma varanda especial para os imperadores, geralmente ficava vazio, mesmo quando estavam presentes na apresentação. Os Imperadores preferiam sua varanda famíliar, que tinha uma porta secreta por trás do palco, que levava aos vestiários das atrizes. A lenda diz que o jovem Nicholas II passou por esta porta para visitar a famosa bailarina Matilda Kshesinskaya.
3. A luz no salão vem de uma magnífica chandellier de bronze. Pesa 2,5 toneladas, tem 210 lâmpadas e 23 mil decorações de cristais.

Documentário sobre a Vaganova Academy, o Teatro Mariinskii e grandes estrelas
Para quem se interessar e entender inglês, aqui está um documentário incrível mas infelizmente não tem em português ou com legendas.




Fotos do alojamento 








Apesar das diferenças, a bailarina não espera encontrar muita dificuldade em se adaptar. A jovem sonha alto, pensa em fazer uma carreira internacional. “Nada impede que continue lá e me profissionalize, é algo que eu quero”, adianta. Com a experiência na Vaganova, acredita que não será tão difícil conseguir emprego em companhias da Europa. 










Mesmo sendo muito difícil de ir, é interessante saber sobre a escola que forma muitos dos melhores bailarinos do mundo. Espero que tenham gostado. 

Beijos! Auf Wierdesehen! 





Fontes:
http://www.dancespirit.com/how-to/ballet/inside_the_vaganova_academy/
http://vaganovaacademy.com/B/ApplicationAndTuition/Application
http://en.wikipedia.org/wiki/Vaganova_Academy_of_Russian_Ballet
https://uk.lifestyle.yahoo.com/separated-1-000-miles-young-ballet-star-father-001949574.html
http://ndonline.com.br/joinville/plural/69761-bailarina-de-joinville-ira-estudar-na-vaganova-ballet-academy.html
http://tatumshoptaugh.blogspot.de/2011/11/it-only-happens-every-one-hundred-years.html
http://blog.anastasia.travel/facts-about-mariinsky-theatre/

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Inspiração - Ballet - Black Swan

Oi Gente!! Wie Geht's?

Vocês já viram o novo vídeo de 2015 da nossa amada Svetlana Zakharova dançando Black Swan?
Então aqui está!




Se você quiser ver a evolução e comparar com um vídeo de 2007:



Na minha opinião, não há grande diferença em Svetlana. É possível ver mais maturidade e ,deve-se também, levar em conta que o vídeo de 2015 é mais difícil técnicamente. A produção do Teatro Bolshoi está maravilhosa dando um efeito muito bom no ballet.

Não tem como não amar né? O que vocês acharam? Espero que tenham gostado! 
Beijos! Auf Wiedesehen!

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Como ganhei minha bolsa de estudos? Review- Seminário Internacional de Dança de Brasília

Oi gente!! Wie Geht's?

Muita gente me pergunta como ganhei minha bolsa de estudos e como vim parar fazendo ballet aqui na Alemanha. Então nesse post vou contar como e onde aconteceu. E o que vocês podem fazer para conseguir uma bolsa também.

Em 2013, eu tinha 18 anos e já estava quase na idade limite de sair para o exterior com uma bolsa de estudos. As pessoas sempre me deram forças para tentar e eu sempre quis, mas eu não sabia como fazer e nem onde ir para conseguir que isso se realizasse.

Nesse ano, minha dúvida era se eu aceitava a vaga do Summer do Boston Ballet School para tentar uma bolsa integral ou se eu ia para Brasília. Meu atual namorado que é brasiliense, me indicou e ajudou à ir para o Seminário Internacional de Dança de Brasília.

Foi uma experiência incrível onde tive várias oportunidades de dançar, foi onde conheci, fiz aula e ensaiei com professores maravilhosos de todo o mundo, e foi onde fiz grandes amizades. Por isso resolvi falar um pouco do Seminário.



O Seminário

Além das aulas e workshops, tinhamos ensaios para a competição e ensaios para a apresentação de encerramento. São quase 20 dias de muita dança e aprendizado. O cronograma do seminário é cheio, tendo cursos e ensaios todos os dias o dia todo. É cansativo mas vale muito a pena.

"O evento, conhecido e respeitado nacional e internacionalmente, é responsável por ter possibilitado uma carreira internacional a mais de 400 bailarinos brasileiros, por meio de Bolsas de Estudo, Estágios e Contratos em prestigiadas escolas, academias e companhias internacionais. A coordenadora do evento, a coreógrafa e bailarina, Gisèle Santoro, afirma que este é um ano especial “por homenagearmos Claudio Santoro – patrono da instituição que realiza o evento – por seus 95 anos de nascimento, 25 de falecimento e 35 de inauguração do Teatro Nacional Claudio Santoro e criação de sua Orquestra Sinfônica."

Os professores


Em 2013 tive o prazer de trabalhar com Vladimir Klos (Alemanha), Fernando Coelho (Alemanha), Hans Tappendorff (Alemanha),  Gisele Santoro- Brasil (filha)
Evandra Martins (Brasil/França), Roser Muñoz (Espanha) e Vincent Gros (França).
Uma equipe incrível, que aprendi muito e sou muito grata por tudo. O Seminário me inspirou mais ainda a buscar meu lugar no mundo da dança. 
Os prêmios e bolsas
O Seminário Internacional de Dança de Brasília premia os melhores bailarinos com bolsas e valores em dinheiro. 
Bolsas de Estudo
 Alemanha
  • Academia de Dança de Mannheim (Akademie des Tanzes Mannheim)
  • Academia de Ballet de Munique (Heinz Bosl Stiftung)
  • Palucca Schule Dresden
  • Junior Company (Dortmund)
 Áustria
  • Escola de Ballet da Ópera de Viena (Ballettschule der Wiener Staatsoper)
  • Escola de Ballet St. Pölten ( Ballettkonservatorium der Landeshauptstadt)
  • Conservatório de Viena (Konservatorium Wien)
 Canadá
  • Pacific Dance and Arts
  • RNB Dance and Theatre Arts
  • Royal City Youth Ballet
  • Goh Ballet
  • Lamondance
 Espanha
  • Escuela de Danza Marta de La Veja
  • Centro de Danza de Cataluña
  • Real Conservatorio de Madrid
 Estados Unidos
  • Alonzo King LINES Ballet School - San Francisco
 França
  • European Dance Centre Goubé - Paris
  • Estágio na Arian’Art, grupo francês sediado em Paris
Estágios/Contratos
 Áustria
  • Tanz Atelier Wien (curto estágio)
 Suiça
  • Academia de Dança de Zurique
  • Avant Scène (Lausanne)

Minha passagem no Seminário

Antes de ir para o Seminário, com a autorização da diretora, Maria Luisa Noronha, eu ensaiei na minha escola de danças Maria Olenewa. Minha ex-professora amada Veronika Psykova (Ex Solista do Vaganova Ballet), me ajudou e meu deu todo incentivo e apoio.
Fui para Brasília e dividi um flat com duas amigas que também participaram do Seminário.
No primeiro dia de aula eles me convidaram para participar do ballet de encerramento, "O Lago dos Cisnes". A remontagem foi feita pela querida Gisele Santoro, que em pouquíssimo tempo montou o Lago completo. 

Na primeira semana a gente tinha aulas, ensaios de Lago e ensaios para a segunda fase do concurso. No final da primeira semana foi a primeira fase do concurso, que consiste em uma aula avaliativa. 
Na segunda semana continuamos tendo aulas, ensaios de Lago e ensaios para a segunda fase. Essa fase depende do que você se inscrever. Eu levei apenas clássico. Então, nesses ensaios eu ensaiava a variação da segunda fase (Rainha das Dríades) com meu atual professor Vladimir Klos. 
Os ensaios e as aulas eram maravilhosa e eu aprendi muito com essa experiência.   
No final da segunda semana ocorreu a segunda fase do concurso. Na minha opinião, a segunda fase foi a minha favorita, pois foi no Teatro Vila Lobos e foi a fase que nós tivemos mais chance de trabalhar. 
Três dias depois foi a terceira fase do concurso. Onde ensaiei com a Roser Muñoz a variação de Esmeralda. Também amei a experiência e tentei sugar tudo que podia do Seminário. 
Vou confessar que na terceira fase eu estava um pouco tensa por causa do palco que tinha uns desníveis e pelo aparelho de som que parava as vezes durante as variações. Mas acho que o propósito do Seminário é muito maior e por mais que existia algumas dificuldades, eu aprendi muito e isso é o mais importante.
No dia seguinte foi a premiação e a gala dos campeões. Foi nesse dia que descobri que tirei primeiro lugar na minha categoria e ganhei oficialmente minha bolsa de estudos. 
Na gala de encerramento eu apresentei a variação de Esmeralda. E dois dias depois tivemos a gala de encerramento onde tive a oportunidade de dançar um ballet completo com a primeira bailarina do Teatro Municipal do Rio de Janeiro Marcia Jaqueline e outros bailarinos maravilhosos. 

Além do aprendizado, o que mais gostei no Seminário foi o clima maravilhoso. Todos os professores estão lá de corpo e alma. Conheci pessoas maravilhosas e amigos que tenho até hoje. Durante o concurso todo me senti muito incentivada pelos professores, pela Gisele Santoro, meu namorado e minha família e isso ajudou muito meu desenvolvimento e motivação. 

Agradeço muito minha família, meu namorado, meus antigos professores e todas as pessoas que me apoiaram na realização do meu sonho.
Sou muito grata e espero voltar um dia no Seminário Internacional de Dança de Brasília.

Depoimentos de bailarinos que passaram pelo Seminário
  • Amanda Vieira, bailarina do Junior Ballet do Teatro Dortmund, Alemanha

Participei do Seminário Internacional de Dança de Brasília algumas vezes e todas elas me proporcionaram experiências que eu não teria em nenhum outro lugar, como o contato com professores de renomadas escolas fora do Brasil ou a oportunidade de dançar o Lago dos Cisnes completo. Aprendi muito com o seminário e acho que ele é muito importante para todos que sonham em ser bailarinos profissionais fora do Brasil, pois com certeza sem ele eu nunca teria conseguido realizar meu sonho de dançar na Europa.

  • Carolina Grisolia, bailarina no conservatório de dança de Praga, República Tcheca

Olá, sou Carolina Grisolia Brantes e tenho 19 anos. Tive a sorte de nascer filha de uma professora de Ballet, portanto tive contato com o ballet logo pequena . Eu conheci o seminário internacional de dança de Brasília no ano de 2007, tinha 10 anos e estava somente acompanhando minha mãe que levava suas alunas para o curso. Eu fiquei só uma semana, mas posso dizer que foi meu primeiro contato real com o mundo da dança. Foi aí que descobri que realmente gostava de dançar, todos aqueles professores e todas aquelas aulas me encantaram, e a partir disso o sentimento de amor pela dança, principalmente pelo ballet, só cresceu . Desde então fui todos os anos seguintes até o momento, e cada um deles foi especial, sempre com muita aprendizagem, evolução e ensinamentos! Conheci pessoas maravilhosas que vou carregar para o resto de minha vida, tanto bailarinos como professores ! Foi através do seminário que conheci os grandes professores June e Hans Tappendorff, que me acompanharam desde os 11 anos até agora , e através deles é que consegui chegar mais perto do meu sonho e atualmente estou estudando no conservatório de dança de Praga na República Tcheca.

  • Ana Mantegari, bailarina na Akademie des Tanzes Mannheim, Alemanha

Fui pela primeira vez para seminário quando tinha 14 anos e depois voltei com 16 e 18. A estrutura, e organização do seminário assusta um pouco no começo. Mas ao longo dos dias, quando a rotina começa com dias cheios de aulas de todos os estilos de dança, você vê que vale a pena. O fato de ter professores vindos de vários lugares diferentes do mundo te dando atenção é incrível, porque você recebe informações novas a cada aula ou ensaio e acaba aprendendo muito. O seminário da a oportunidade de realmente vivenciar a dança, com muitas aulas e ensaios, tanto para a competição quanto para a gala de encerramento. Além disso, os professores do exterior também oferecem bolsas de estudos para os bailarinos em que eles vêem potencial e acreditam se encaixar em suas escolas. E é por conta disso que hoje vivo na Alemanha, estudando na Akademie des Tanzes, em Mannheim. São dias intensos, mas que valem muito a pena independente de qualquer coisa.


  • Guilherme Carola, bailarino na Akademie des Tanzes Mannheim, Alemanha

No dia 26 de junho as 16:00 horas eu chegava em Brasilia durante um jogo da seleção Brasileira. Então eu e minhas três amigas, Beatriz e Jéssica e Gabriela pegamos um táxi até o alojamento. Chegando lá fomos recebidos pela Marina, uma das ajudantes do concurso, uma pessoa extremamente educada e prestativa. Tive aulas com professores excelentes e também fiz muitas amizades. O Seminário Internacional de Brasilia é uma ótima chance pra um bailarino que procura algo a mais no mundo da arte da dança clássica e moderna. São 4 semanas de aulas avaliativas e a competição. O legal é que você pode ganhar bolsa somente fazendo aulas, que foi o meu caso, eu não venci a competição mas me sai muito bem e feliz com a minha conquista no seminário. Minha dica pros bailarinos e bailarinos do Brasil é procurar caminhos que realmente vão direto nos seus sonhos. Acredite no seu potencial e lute. Entenda que cada um de nós temos nosso lugar na dança. Persista pelo seus objetivos, seja você mesmo seu concorrente e se supere a cada dia mais. Dias ruins existem, mas um novo dia sempre amanhece, com 24 horas de novas chances!


  • Lúcia Lopes, bailarina do Junior Ballet do Teatro Dortmund, Alemanha

Fazer parte do seminário foi incrível! Minha primeira participação foi em 2013 e eu realmente gostei de tudo, das aulas, professores e etc. Enfim, então participei no ano seguinte e la recebi meu primeiro contrato de trabalho. Não imaginava que poderia aprender tanto em tão pouco tempo e além disso realizar parte do meu sonho, que é ter a oportunidade de mostrar meu trabalho no exterior e viver da dança.


  • Carolina Martins, bailarina na Akademie des Tanzes Mannheim, Alemanha

Oi, meu nome é Carolina Martins, tenho 18 anos, e em Julho de 2013 ganhei uma bolsa de estudos no Seminário de Brasília para a Akademie des Tanzes de Mannheim, Alemanha. Minha experiência em Brasília foi maravilhosa, passei o período todo lá fazendo as aulas durante todo o dia. Participei da competição e fiz do ballet até street dance (começava as oito da manhã até dez e meia da noite!). Mas valeu muito a pena, aprendi muito, conheci pessoas maravilhosas e lembranças para a vida toda! A única coisa que poderia melhorar é a organização do evento, pois o restante foi incrível e se pudesse voltaria!


  • Gabriel Brito, bailarino na Akademie des Tanzes Mannheim, Alemanha

Olá meu nome é Gabriel Brito, venho de Fortaleza, tenho 18 anos, moro na Alemanha e estudo ballet clássico na Akademie des Tanzes de Mannheim.
O Seminário Internacional de Dança de Brasília, pra mim, foi muito bom pois pude colher bons frutos através do meu trabalho. Foi uma experiência única. Eu soube do seminário porque umas três pessoas da minha antiga escola haviam participado nos anos anteriores ao meu e gostaram muito pois o Seminário possui muitas oportunidades.No ano de 2014 eu resolvi ir. Tive que juntar dinheiro, fazer rifa e pedir ajudar pois o Seminário fica muito distante de onde morava e eu teria que me manter durante quase 1 mês. 
Deu tudo certo e então eu fui. Conheci muitas pessoas legais, os professores são muito bons e lá você encontra muita coisa pra fazer, logo você nunca fica parado. O concurso é dividido em 3 fases. A fase 1 é uma aula que você tem que aprender e mostrar para todos os professores. Passando dessa fase, você tem que mostrar o que você levou pro concurso (fase 2 e na fase 3 você mostra variação ou solo livre e etc). 
Dentro do Seminário ocorre uma audição pra quem quiser fazer pra participar da Gala de Encerramento. Acho muito legal pois os participantes tem a chance de serem vistos pelos professores.
Eu agradeço muito a Deus por ter conseguido uma bolsa tão sonhada de estudos pra estudar fora e me aperfeiçoar mais e mais. São muitos fatores pelo qual estou aqui. Não só o fato de eu ter tido a benção de ir pro seminário, mas também a ajuda de minha mãe, de meus professores e minha escola. Sou muito grato por fazerem parte do meu sonho!!

Essas são algumas das opiniões de pessoas que já participaram do concurso.
Para mais informações oficiais sobre o Seminário, mande um e-mail para a santorogisele@gmail.com .
_______________


O importante é você ir atrás dos seus sonhos. Seja ele qual for e seja pelo seminário ou outro caminho. Não desista e lembre que se você sonha é porque é possível
Espero que tenham gostado.
Beijos! Auf Wiedersehen!